CIRURGIA PLÁSTICA

RITIDOPLASTIA

Também denominada “lifting” (do inglês: levantamento) facial e cervical. A principal indicação para a cirurgia é a presença de rugas e excesso de pele ou flacidez na face e pescoço.

 Pode ser realizada em homens e mulheres. Em geral a partir de 45 anos, quando é mais comum o surgimento das alterações de pele mencionadas.

É muito importante compreender que o aspecto jovial do segmento face-pescoço é comprometido por vários agentes, entre eles: o próprio envelhecimento, stress,  tabagismo, exposição solar sem proteção, desbalanços hormonais, perda e ganho de peso , falta de hidratação do organismo como todo e da pele em particular.
Na consulta médica será feito o diagnóstico e exame das alterações faciais e cervicais bem como identificados os seus principais agentes causadores a fim de promover um tratamento global, com readequação do estilo de vida inclusive (incentivo ao uso de protetor solar e combate ao tabagismo ).

A primeira etapa do planejamento consiste em definir quais regiões necessitam de intervenção. Para tal, divide-se a face em 3 porções tranversais : terço superior ou fronte , terço médio ( área da maxila) e terço inferior (área da mandíbula e sob o queixo até o pescoço).

As incisões são planejadas conforme as áreas a serem tratadas.
No lifting frontal (ou do terço superior) podem ser pequenas próximas à linha dos cabelos, e até extensas no couro cabeludo de um lado a outro da cabeça, também chamado lifting coronal.
       
                      
        
Para o tratamento do terço médio e inferior as incisões são posicionadas em frente e atrás das orelhas e em direção ao couro cabeludo da porção lateral da cabeça.

Internamente, os músculos da face podem ser reposicionados através de pontos internos. A pele é descolada e tracionada num sentido de elevação e o excesso de pele é ressecado. São realizadas suturas em diversas camadas até a superfície da pele.

Pode ser necessário o uso de drenos no pós-operatório por 2 a 4 dias.




A anestesia pode ser local associada à sedação intravenosa, ou geral .
O tempo médio da cirurgia é de 3 a 6 horas. O período de internação médio é 12 a 24 horas.
Recomendações pós-operatórias incluem:


  Andar precocemente, desde o primeiro dia da cirurgia. As caminhadas devem ser curtas, em piso plano.

Dormir de barriga para cima por 2 semanas, com a cabeceira da cama elevada.

Evitar exercícios físicos por cerca de 4 semanas

Evitar exposição direta ao sol por 2 a 3 meses.

Usar óculos escuros com proteção UVA e UVB por 4 semanas.

Usar os medicamentos, cremes e pomadas, colírios e compressas geladas conforme a prescrição médica.

Comparecer as consultas de retorno para acompanhamento, remoção de pontos, conforme a determinação médica.


A área operada apresentará edemas ou inchaços e áreas arroxeadas na pele por períodos variáveis, mas em geral tênues após 3 a 6 meses.

As cicatrizes da ritidoplastia são permanentes (não desaparecem) e levam cerca de 6 meses a 2 anos para amadurecer completamente. Seu aspecto depende de fatores genéticos individuais (pessoas com tendências a quelóides poderão ter cicatrizes mais avermelhadas ou largas) e dos cuidados pós-operatórios do paciente.


Dúvidas frequentes


Quantos anos o paciente rejuvenesce fazendo ritidoplastia?

A cirurgia suaviza os efeitos do tempo, porém como a aparência da face é resultado da interação de diversos fatores não é possível responder a essa dúvida. O cuidado com a hidratação da pele, não fumar, evitar exposição ao sol terá impacto positivo na cirurgia.