CIRURGIA PLÁSTICA

ABDOMINOPLASTIA

É também denominada dermolipectomia abdominal . A técnica mais utilizada consiste na retirada do excesso de pele e gordura da região inferior do abdome localizada abaixo do umbigo.


Pode ser realizada em mulheres ou homens. A principal indicação para o procedimento é a presença de flacidez de pele na área abdominal inferior, em geral decorrente de gestação ou grandes emagrecimentos. A existência de estrias no abdome inferior é outro motivo para a cirurgia.


Na consulta médica será feito o diagnóstico e exame físico e solicitados todos os exames pré- operatórios pertinentes.




A cirurgia começa com a incisão na região abdominal inferior. Em geral próxima à área de dobra de pele ou de cicatrizes de cesáreas prévias. A extensão da cicatriz depende do grau de flacidez de pele, habitualmente de “lado a lado do corpo”, entre os ossos do quadril, porém pode ser maior ou menor, conforme o exame físico de cada pessoa.


Através dessa incisão descola-se o conjunto pele e gordura da parede abdominal anterior até a região das costelas e traciona-se para baixo, para que o excesso de tecido possa ser removido.


Quase sempre existe afastamento da musculatura abdominal central (diástase dos músculos retos abdominais), e se faz a “amarração”  ou sutura muscular interna (plicatura) para aproximar os músculos afastados, e conferir ao abdome um aspecto menos protuso e mais retilíneo.


A cicatriz umbilical é remodelada e reposicionada para a nova situação da pele abdominal (novo umbigo ou neo-onfaloplastia).


São realizadas as suturas em diversas camadas até a parte superficial da pele.



Geralmente é necessário o uso de dreno para o pós-operatório, em geral por 5 a 7 dias.

A anestesia pode ser peridural ou raqui associadas à sedação, ou geral .





O tempo médio é de 2 a 3 horas, mas é muito comum a associação com lipoescultura (lipoabdominoplastia), o que aumenta um pouco a duração do procedimento.  O período de internação médio é de 1 dia.


Recomendações pós-operatórias incluem:



Andar precocemente, desde o primeiro dia da cirurgia. As caminhadas devem ser curtas, em piso plano. O paciente deve andar levemente inclinado para frente ou curvado durante cerca de 2 semanas.

Dormir de barriga para cima e joelhos e quadris levemente flexionados por 2 semanas.

Não carregar peso (acima de 5 kg) por cerca de 4 semanas

Evitar exercícios físicos por cerca de 4 semanas

Evitar exposição direta ao sol (roupa de banho) por 4 a 6 meses

Usar os medicamentos, cremes e pomadas, malhas de compressão e realizar drenagens linfáticas pós operatórias conforme a prescrição médica

Evitar relação sexual por 3 a 4 semanas.

Comparecer as consultas de retorno para acompanhamento , remoção de pontos, conforme a determinação médica.

A área operada apresentará edemas ou inchaços e áreas arroxeadas na pele por períodos variáveis, mas em geral tênues após 3 meses.


A cicatriz da abdominoplastia  é permanente (não desaparece) e leva cerca de 10 meses a 2 anos para amadurecer completamente. Seu aspecto depende de fatores genéticos individuais (pessoas com tendências a quelóides poderão ter cicatrizes mais avermelhadas ou largas) e dos cuidados pós operatórios do paciente.

 


Dúvidas frequentes



A flacidez de pele abdominal pode voltar?

Sim, a flacidez da pele resulta do processo de ganho e perda de peso e do próprio envelhecimento e pode voltar. Para retardar e minimizar o processo é fundamental uma vida de hábitos saudáveis com controle de peso, nutrição inteligente, prática de exercícios físicos e não fumar.


Após abdominoplastia uma mulher pode engravidar?

Sim, pode engravidar, porém a flacidez de pele vai retornar em graus variados e também podem surgir várias estrias pelo estiramento da pele, especialmente se a gravidez ocorrer pouco tempo (menos de 1 ano) após a cirurgia.O ideal é que a candidata a abdominoplastia já tenha definido sua vida reprodutiva.